Vizinhos se unem no Whatsapp para garantir segurança
Voltar para o blog

Vizinhos se unem no Whatsapp para garantir segurança

Aqui não, ladrão! Cansados de conviver com a violência, moradores de vários bairros pelo Brasil, estão se organizando através de grupos do Whatsapp para tentar garantir mais segurança à população. A iniciativa aconteceu depois de vários assaltos em bairros, até então eram conhecidos pela tranquilidade.

O combinado é que cada integrante vigia o quarteirão em que mora, troca informações sobre ocorrências no local e, dependendo do caso, chama a polícia. O aplicativo tem servido também para cobrar das prefeituras regionais melhorias como poda de árvores e aumento de iluminação pública.

Moradores dos bairros Santa Felicidade e Uberaba, em Curitiba, criaram o grupo “SOS Santa Felicidade”, mas o coordenador precisou estabelecer algumas regras para que correntes de redes sociais e mensagens de “bom dia” não prejudicassem a transmissão de pedidos de socorro ou de alertas. “Somente informações relacionadas à segurança do bairro podem ser divulgadas ali. Assim, quando chega uma mensagem no grupo, o pessoal já sabe que é algo importante e dá atenção ao que está escrito ali”, explica o estudante de Direito e responsável pelo grupo, Bruno Lucca, 26.

Em São Paulo, um dos grupos mais ativos é o da Rua Aureliano Leal, na Água Fria, na Zona Norte, com 36 participantes. Desde o seu lançamento, em setembro, a via não registrou nenhum assalto. Furtos de veículos e roubos no comércio também diminuíram nas imediações. Antes, eram cinquenta casos por mês.

Hoje, são quatro, em média. Empenhados, os integrantes penduraram uma faixa que comunica que a rua é monitorada pela Vizinhança Solidária (um programa da Polícia Militar que visa a auxiliar os moradores a se unir para prevenir crimes) e montaram um sistema de apitos para quem não tem smartphone.

“Se alguém vê uma movimentação em seu quintal, por exemplo, deve apitar para chamar a atenção da casa ao lado”, afirma a professora Jocí Bittencourt, 54 anos, que vive ali há 51.

Segundo os moradores, as informações repassadas pelos grupos ajudaram a identificar pessoas com atitudes suspeitas para que os vizinhos pudessem tomar cuidado, aumentando a sensação de segurança.

O recurso ajuda, mas não faz milagre, evidentemente. Na Vila São Francisco, também em São Paulo, a maior sensação de segurança não se refletiu ainda na queda dos índices de criminalidade do bairro como um todo. A ocorrência de furtos e roubos no lugar aumentou 6% em janeiro, em comparação ao mesmo período de 2016, segundo dados do governo estadual.

Outros posts

  1. Noro Imóveis: cada vez mais online, cada vez mais próxima

    Noro Imóveis: cada vez mais online, cada vez mais próxima

    Trabalhar com venda de imóveis é realizar sonhos. Ao pensar na nova casa, no futuro, nas múltiplas possibilidades de como viver, buscamos inspiração em vários lugares. Nas nossas memórias...

  2. Cadê a Bolha?

    Cadê a Bolha?

    Nos últimos dias, tenho sido questionado por amigos, clientes, colegas e parceiros referente a um alerta feito pelo Nobel de economia Robert Shiller sobre a formação (e estouro) da chamada Bolha...

  3. Soluções para cozinhas pequenas

    Soluções para cozinhas pequenas

    Todo mundo adora ficar na cozinha conversando com os amigos, principalmente se for na hora do preparo daquela refeição deliciosa. Pensando nisso, algumas decorações são especialmente criadas...

Centro - Santa Maria/RS

Vendas
55 3223-0950
Locações
55 3217-4917
Plantão de Vendas
55 99977-1229
Plantão de Locações
55 99960-0950

Centro - Santa Maria/RS

Plantão de Vendas
55 99977-1229
Plantão de Locações
55 99960-0950
|